terça-feira, 31 de maio de 2011

Ataque Terrorista? Veja Toda a Verdade Sobre o 11 de Setembro de 2001 (Parte 5)

As Twin Towers
 
























A explicação oficial que as Twin Towers entraram em colapso devido aos estragos provocados pela colisão e ao stress causado pelo fogo, é incompatível com o básico senso comum do ponto de vista das provas que sobreviveram.
As Twin Towers não colapsaram devido à gravidade, nem foram implodidas. Em vez disso foram explodidas, reduzidas a pó e pedaços de metal. Isto é óbvio pela análise das abundantes provas fotográficas e video que sobreviveram à censura. Estas provas mostram que as torres foram consumidas numa questão de segundos numa nuvem em forma de cogumelo, espalhando 75% do seu peso para fora da sua base, de uma forma simétrica e radial..
Os impactos dos aviões serviram como uma manobra de diversão da realidade das torres terem sido demolidas por pessoas "de dentro" dos EUA.
O choque inicial e a espectacularidade das imagens produzidas pelos embates, fixaram o pensamento das pessoas nesses momentos e definiram-nos como os momentos principais do ataque.
Os 18 minutos que existiram entre o 1º e o 2º impacto asseguraram a cobertura total, por parte dos media, do 2º ataque.
De facto as demolições das torres é que foram os eventos principais do ataque, mataram a maior parte das vítimas e foram o causa do trauma e pânico que o ataque pretendia criar.
-Os impactos dos aviões causaram a morte a dezenas de pessoas. Sem contar com os passageiros, cada embate terá morto menos de 100 pessoas.
-Os fogos mataram centenas de pessoas. Algumas ficaram presas nos andares superiores e asfixiaram com o fumo, outras atiraram-se para evitar a asfixia.
-Os colapsos mataram milhares de pessoas. Quando a torre sul explodiu, matou mais de 1000 pessoas que estavam nos andares inferiores e superiores ao embate. A torre norte matou também mais de 1000 pessoas ao explodir. Nestes dois eventos morreram mais de 200 bombeiros.

Vamos então analisar o que realmente aconteceu

Os fatos documentados sobre a Torre Norte


O Impacto (WTC1)

Às 8:46 um avião, aparentemente o vôo 11 atingiu a face nordeste do WTC1 ou Torre Norte, criando uma zona de impacto que se extendeu do 92º ao 98º andar. O embate abanou a torre, causando uma deflexão horizontal de cerca de 10 pés nos andares superiores. Rapidamente surgiram fogos e fumo na zona do impacto. A única filmagem conhecida que existe deste embate não nos mostra uma subsequente bola de fogo causada pelo combustível, pelo que este poderá ter sido queimado dentro do edifício. Ao contrário do impacto na Torre Sul, a única peça do avião encontrada fora da Torre Norte foi uma pequena parte do trem de aterragem e o suposto passaporte de um dos terroristas!



Fogos (WTC1)

Durante alguns minutos após o impacto, podémos ver fogo e fumo branco em vários andares, incluindo a maior parte do perímetro de um dos andares. Na altura em que a Torre Sul foi atingida, via-se menos fogo na zona norte do edifício e o fumo tinha-se tornado negro, o que pode ser explicado pela falta de oxigénio para alimentar as chamas.



Evacuação e Resgate (WTC1)

A evacuação da Torre Norte foi eficiente. Os 102 minutos entre o impacto e o colapso deixaram a maior parte dos ocupantes a baixo da zona de impacto escaparem em segurança.
Ninguém acima do andar 91 sobreviveu. O New York Times estimou que cerca de 1344 pessoas morreram nestes andares. Não é certo quantos sobreviveram até ao colapso, mas muitos dos andares superiores estavam cheios de fumos tóxicos há bastante tempo. Pelo menos 37 pessoas ou talvez o dobro saltaram das janelas para escapar à morte agonizante por inalação de fumo.
O resgate por helicóptero podia ter sido possível já que não havia muito fumo no topo do edifício, no entanto não foi autorizado. Nos ataques bombistas às torres em 1993 foram salvas desta forma 28 pessoas que fugiram para o telhado.
Às 10:07 um helicóptero da polícia avisou os bombeiros que a Torre Sul tinha colapsado de forma a este abandonarem o edifício. Infelizmente muitos dos rádios dos bombeiros não funcionavam bem lá dentro e era difícil ouvirem-se com clareza. 121 bombeiros morreram quando a Torre Norte ruiu.



Destruição (WTC1)

A Torre Norte começou a precipitar-se às 10:28. O colapso começou instantaneamente após terem sido ouvidas algumas explosões.

Os factos documentados sobre a Torre Sul
O WTC2 ou Torre Sul foi a segunda das Twin Towers a ser atingida por um avião e a primeira a ser destruída.



O Impacto (WTC2)

Às 9:03 um avião, aparentemente o vôo 175, embateu contra a face sudoeste da torre, criando uma zona de impacto que se estendeu do 78º ao 84º andares. No momento do impacto enormes bolas de fogo emergiram nas faces sudoeste, sudeste e nordeste. O avião atingiu a zona direita num ângulo oblíquo e muita da fuselagem saiu pelo canto Este. A maior parte dos 10000 galões de combustível que o avião carregava saiu da torre em enormes e espectaculares bolas de fogo. Este evento foi capturado por inúmeros jornalistas, em vídeo, pois ocorreu 17 minutos depois do embate do 1º avião.

 

Fogos (WTC2)

Imediatamente após o impacto, eram visíveis chamas à volta da zona de impacto. Ao contrário da Torre Norte, em que alguns fogos eram visíveis acima da zona de impacto, os fogos da Torre Sul nunca se espalharam para o lado oposto do edifício. Quando o edifício ruiu, os fogos pareciam estar sufocados, sem oxigénio, já que não eram visíveis chamas, apenas fumo preto. Numa dada altura a maior parte do fumo vinha da Torre Norte. Os bombeiros de Nova York chegaram aos andares do impacto antes do edifício ruir e descreveram que haviam apenas "duas zonas com fogo", perfeitamente controláveis.



Evacuação e Resgate (WTC2)

A evacuação da Torre Sul começou às 8:46 após a colisão do jacto com a Torre Norte. Como os elevadores funcionaram plenamente entre as 8:46 e as 9:03, a evacuação procedeu de forma mais eficiente que na Torre Norte. No entanto houve confusão, como a causada pelo anúncio feito através dos intercomunicadores que a torre estava segura e que as pessoas podiam regressar aos seus gabinetes. Este conselho poderá ter custado centenas de vidas.

Quanto o avião atingiu a Torre Sul, cortou várias saídas de emergência dos 30 andares de cima. Deixou pelo menos uma escadaria livre, já que o New York Times encontrou pelo menos 18 pessoas que escaparam por aí. A maior parte das pessoas desconhecia essa escada livre de fogo, pelo que pelo menos 200 pessoas subiram ao telhado esperando ser salvas a partir daí. No entanto quando lá chegaram encontraram as portas trancadas! O salvamento pelo telhado, que foi usado no atentado 1993, não era uma opção nesse dia.



Destruição (WTC2)

A Torre Sul começou o colapso às 9:59. A primeira porção da torre, acima da zona de impacto, começou a inclinar-se para sudeste, enquanto que começaram as primeiras explosões de detritos na zona da colisão. Depois, aos 2.5 segundos, o topo começou a cair e a sua rotação a desacelerar. Aos 6.5 segundos, o topo foi completamente "engolido" por uma enorme nuvem de detritos.

Num aparentemente comentário espontâneo, Peter Jennings disse que aquele evento parecia uma demolição controlada e apontou que era necessário ter acesso às infraestruturas para conseguir mandar abaixo um edifício daqueles.

As sequências de destruição do WTC1 e WTC2 são muito parecidas a partir do momento em que os topos desapareceram. 



Os colapsos impensáveis

Demasiado chocantes para uma análise racional


Em 15 segundos uma enorme estrutura em aço desintegrou-se, do topo à base, numa emergente nuvem de poeira.
Os edifícios caem sobre si mesmos desta forma, ficando em pó em segundos?
Isto é suposto acontecer a uma estrutura de aço devido ao impacto do avião e aos fogos que existiam perto do topo?
Se calhar poucas pessoas fizeram perguntas deste tipo, já que nenhum dos eventos que antecederam este, era suposto acontecerem. Testemunhámos uma série de eventos altamente improváveis de acontecer, desde o sequestro de um avião com x-actos, a um avião a embater numa torre do WTC, a múltiplos sequestros, a um segundo avião a embater noutra torre até um outro avião colidir com o coração da defesa dos EUA (Pentágono). Cada evento nesta série era mais improvável de acontecer que o anterior. Portanto quando chegámos à parte dos arranha-céus a desintegrarem-se, já estávamos condicionados a esperar o inacreditável.



Um olhar racional para os colapsos das Twin Towers revela que a história oficial contradiz as leis da física e o mais básico conhecimento do comportamento de estruturas em aço.

  • As torres foram desenhadas para sobreviver a impactos de aviões do tipo dos do 11 de Setembro.
  • Os fogos não eram muito fortes na torre sul e estavam a diminuir. Mesmo fogos muito severos não teriam iniciado um colapso total.
  • As torres desintegraram-se explosivamente, não da forma de que um arranha céus poderia cair.
  • Há provas relativamente simples de que estes edifícios não caíram devido ao seu próprio peso 
Explosões abaixo do nível da destruição
Explosões contínuas mandaram as Torres abaixo 


A destruição das torres não pode ser descrita correctamente sem usar a palavra "explosão". Enormes colunas de fumo e detritos foram expelidas das torres, à medida que as consumiam, convertendo todo o betão num fino pó e reduzindo enormes vigas em aço a pequenos tamanhos. Os computadores, mobiliário e outros objectos ficaram reduzidos a pequenos fragmentos.

Na maior parte dos vídeos das torres a cairem é possível ver explosões a acontecerem alguns andares abaixo do nível da destruição.

Por outro lado, o aço usado na construção aguenta temperaturas muito superiores à temperatura conseguida na combustão de combustível de avião. Mesmo que o combustível ainda estivesse a alimentar as chamas (o que é pouco provável já que a maior parte foi consumida na explosão inicial), a temperatura máxima que o fogo consegue atingir na melhor das hipóteses (e em condições óptimas) é aproximadamente 850ºC enquanto que o ponto de fusão do aço é cerca de 1500ºC !

Se ainda assim, o combustível conseguisse fornecer energia suficiente para enfraquecer a estrutura em aço, o desmonoramento seria como "a queda de uma árvore", apenas os topos das torres caíam, ficando o resto quase intacto. Alguma vez viu outra torre cair sobre si mesma?

Nos vídeos existentes, é possível ver ainda que os incêndios nas torres antes do seu colapso, eram já fracos. O fumo negro demonstra falta de oxigénio para alimentar as chamas, o que indica que os incêndios dificilmente conseguiam atingir tais temperaturas.

Como seria então possível destruir uma torre, com estrutura totalmente em aço, desde o seu topo até à base?

COM EXPLOSIVOS, COMO FAZEM NUMA DEMOLIÇÃO CONTROLADA !

Nos vídeos é possível ver os detritos serem expelidos horizontalmente (só possível com explosivos)
Se analisarmos ainda o tempo que cada torre demorou a se desmoronar, concluímos que a queda foi a uma velocidade próxima da queda livre de um objecto. Ou seja, não houve praticamente resistência à queda por parte da estrutura em aço. Se a estrutura, não fosse destruída com explosivos à medida que a destruição ocorria, a queda da torre sería travada ou pelo menos abrandada pelos andares inferiores.

No fim, um facto pelo menos muito estranho, foi a rápida destruição das provas. A empresa "Controlled Demolition" foi encarregue de recolher todos os detritos no Ground Zero, para posterior reciclagem ou venda como matéria prima (à China e Índia). Apesar da destruição de provas ser ilegal, no início de 2002, a maior parte do entulho já tinha sido removido

Então o que está mal nesta História?

  • Um incêndio nunca derrubou edifícios com estrutura em aço (exemplos na página sobre o Edifício 7)
  • Os colapsos das torres nunca foram seriamente investigados
  • As provas foram destruídas
  • As explicações oficiais são hilariantes
  • A demolição controlada é muito provável



Algumas provas de Demolição:

  • O betão das torres foi pulverizado no ar
  • As super-estruturas em aço não ofereceram mais resistência à queda do que o ar
  • As torres caíram verticalmente
  • O volume das nuvens de pó produzidas pelos colapsos indica que a sua energia térmica é muito maior que a energia gravítica
  • O topo da Torre Sul inclinou antes de cair sobre a estrutura intacta (diminuindo assim o peso sobre esta)

As provas 1 e 2 requerem apenas senso comum. A Prova 3 requer conhecimentos sobre estruturas de edifícios em aço.
A Prova 4, conhecimentos básicos de termodinâmica e a Prova 5 usa mecânica básica.






Depois dessa analise podemos concluir que:
As torres foram destruídas por explosões controladas.
Os explosivos terão que ter sido plantados antes dos atentados, o que indicia pré-conhecimento dos ataques
Os embates dos aviões serviram para arranjar um motivo e um culpado para a queda das torres
As provas do crime (os destroços no Ground Zero) foram rapidamente destruídas

 O Edifício 7
Exposição da fraude da história do governo




































Como parte da missão de descobrir a verdade por detrás do 11/9/2001, a análise da demolição de 3 arranha-céus em Nova York, é o centro fulcral das investigações.
Vamos aqui falar do "Edifício 7" (Building 7 ou WTC7), o terceiro arranha-céus a cair no dia 11/9/2001.






















O Edifício 7 era um edifício de 47 andares com estrutura 100% em aço que ocupava um bloco adjacente ao complexo World Trade Center e a 2 blocos da Twin Tower mais próxima. A sua altura era quase metade das Twin Towers, tinha morada no complexo WTC mas:
  • Era localizado num bloco diferente de todos os outros 6 edifícios do WTC
  • Tinha idade e arquitectura diferentes dos outros WTC
  • Ficava a mais de 90m da Twin Tower mais próxima
  • Estava mais afastado das torres que o edifício "Banker's Trust"
No dia 11/9:
  • Não foi atingido por nenhum avião
Foi o único edifício fora do complexo WTC que ruiu


Tal como as Twin Towers, o Edifício 7 entrou em colapso total no dia 11/9/2001.
As Torres explodiram, enquanto que o Edifício 7 foi implodido, de uma forma em tudo igual às demolições de edifícios convencionais. 


Edifício 7, a Verdade Escondida

 O colapso das Twin Towers em Nova York no dia 11 de Setembro é conhecido por todas as pessoas. 
O colapso total de um terceiro edifício naquele dia permanece virtualmente desconhecido para a maioria.
O WTC7 ruiu dentro dos limites da sua base às 17:20 de 11/9/2001
O colapso das torres foi fortemente divulgado pelos media, o Edifício 7 não teve essa atenção

O desabamento do WTC7 não terá morto ninguém. De acordo com o vago e inconclusivo relatório do governo, foram os fogos que causaram o colapso deste edifício. No entanto, excepto no dia 11/9/2001, nunca tinham havido casos de incêndios, fracos ou fortes, a causar o colapso de um edifício com estrutura totalmente em aço!

Este incidente inexplicável não sería também motivo para grandes reportagens?

O Edifício 7 ficava num bloco a norte do WTC Plaza. No 23º andar ficava o centro de comando de emergência do Sr. Giuliani (Mayor de Manhattan). Este andar tinha vidros à prova de bala e de bomba, fornecimento de ar e água independentes do resto dos andares e uma vista clara para as faces norte de ambas as Twin Towers.
 


Neste edifício ficavam também outras agências governamentais como: o IRS, o EEOC, os Serviços Secretos dos EUA, o SEC e a CIA, além de algumas empresas privadas.
Inúmeros documentos sob investigação pela SEC (Securities and Exchange Commission) e EEOC (Equal Employment Opportunity Commission) foram dados como "destruídos". O "Los Angeles Times" anunciou que foram destruídas informações substanciais sobre 3000 a 4000 dos casos em investigação pela SEC. O EEOC anunciou a perda documentos sobre 45 casos. Antes do ataque tínhamos ouvido falar de importantes investigações feitas pela SEC sobre fraudes realizadas por companhias como a Enron e a Worldcom (noticiadas em muitos telejornais), investigações que se perderam após o ataque.

A Implosão do Edifício 7

O WTC7 caiu verticalmente sobre a sua base em cerca de 6.5 segundos. A queda livre do telhado foi apenas em 5.96 segundos. 













A queda foi vertical, com uma aceleração quase igual à da gravidade, o que indica que não houve resistência ao movimento por parte da sua estrutura. Como tinha sido evacuado previamente, não houve registo de vítimas mortais.
Qualquer perito em demolições de edifícios não hesita em dizer que este edifício foi implodido, apenas pela observação dos poucos vídeos existentes. É possível ver o centro do edifício cair primeiro, prática comum nas implosões para que toda a massa do edifício caia sobre este ponto, não danificando assim os edifícios vizinhos. 


As 3 filmagens seguintes podem ser vistas em www.wtc7.net, um site dedicado apenas à investigação do colapso do Edifício 7.

(1.4 MB) Este vídeo de 36 segundos mostra o Edifício 7 de um ponto distante a nordeste.










(1.5 MB) Um vídeo de 9 segundos que mostra o WTC7 a cerca de 1.5 Km para nordeste, na West Broadway.

(1.7 MB) Este vídeo de 9.6 segundos mostra-nos o Edifício 7 a cerca de 300m para norte.


O que causou a implosão do Edifício 7 - A versão oficial 


A única organização governamental a investigar o colapso do WTC7 foi um grupo de engenheiros voluntários, escolhidos e supervisionados pela FEMA (Federal Emergency Management Agency). No seu relatório apresentaram um cenário incrível no qual os poucos incêndios no edifício (criados pelos detritos dos aviões), causaram o seu colapso e admitiram uma "fraca probabilidade de isto acontecer".
No WTC7.net realçam que a ideia de que danos em locais ao acaso poderão ter causado o colapso deste edifício de uma forma organizada, ao estilo de uma implosão, é uma ideia absurda.

Se os incêndios demoliram o Edifício 7 esta sería a 3ª vez na história que um edifício em aço ruiu devido ao fogo, os 2 primeiros teriam sido as Twin Towers...
Incêndios muito mais severos que os observados no Edifício 7 não destruiram por completo outros edifícios, mesmo que alguns tivessem estrutura em betão reforçado com aço (que é menos resistente ao fogo).

O trabalho da FEMA

  • A FEMA fez a investigação sobre o colapso dos edifícios do WTC. Gastou apenas $600,000 na investigação.
  • A utilização da FEMA foi a melhor forma de garantir que não houvesse uma investigação a sério.
  • A FEMA juntou uma equipa de investigadores voluntários.
  • Os investigadores não tinham permissão para entrar no Ground Zero.
 Outros exemplos de edifícios que sofreram incêndios



1945 - Um bombardeiro B52 colidiu com o Empire State Building em Nova York. Morreram 14 pessoas devido ao incêndio.

 





















1975 - Um incêndio numa das Twin Towers em Nova York alastrou do 9º ao 14º andares. Nesta altura foi tomada a decisão de instalar um sistema automático contra incêndios em ambas as torres. 
 



































1988 - Incêndio no Edifício do First Interstate Bank em Los Angeles (à esquerda), ardeu fora de controle dos bombeiros durante 3h30m. Destruiu 4 dos 64 andares deste edifício.
Este incêndio foi descrito como "um fogo que não produziu danos na estrutura do edifício"
1991 - Incêndio no Meridian Plaza em Filadélfia (à direita), edifício com 38 andares, com fogo muito intenso durante 18 horas que atingiu 8 andares.
2004 - Um arranha-céus de 56 andares na Venezuela ardeu durante 17 horas destruindo por completo 26 andares.
2005 - Incêndio na Torre Windsor em Madrid. A torre tinha 32 andares, o incêndio durou 24 horas e destruiu os 10 últimos andares. Apesar do topo ter ruido, o edifício em si não se desmoronou. 

Apesar dos longos tempos de exposição ao fogo e com incêndios muito mais intensos do que os do WTC7, nenhum destes edifícios ruiu.


O que realmente aconteceu e Conclusão


Os incêndios nunca destruíram colunas de aço de grandes edifícios, mesmo que conseguissem, os danos causados seriam produzidos gradualmente e seriam localizados em certas áreas onde o fogo fosse mais intenso.

















Não sería possível uma combinação de detritos de avião e incêndios ao acaso terem destruído, em simultâneo, todas as colunas necessárias para fazer o Edifício 7 implodir.

A precisão necessária para fazer o WTC7 implodir sem danificar os edifícios ao lado, foi enorme, não poderá ter sido uma obra do acaso.
Este tipo de colapso é precisamente o que se espera de uma demolição controlada, com cargas explosivas a serem detonadas no centro, ao nível da base para que o edifício caia sobre si. De todos os colapsos, o WTC foi o mais preciso, característica de uma implosão. Nas imagens video vemos a estrutura interna ser destruída antes de todo o edifício começar a ruir, garantindo-se assim que as paredes externas caissem para o centro, criando um amontoado de entulho com as paredes exteriores em cima, tudo sem danificar os edifícios vizinhos.

Mais tarde, foi com grande espanto que vimos Larry Silverstein, o recém proprietário de todo o complexo WTC, dizer numa entrevista para o documentário "America Rebuilds", que tinha falado com os bombeiros ao telefone nessa altura. Os bombeiros tinham-lhe dito que não sabiam se iam conseguir controlar o incêndio no WTC7, foi então que ele decidiu dar a ordem "Pull it". Este é o termo usado na engenharia civil que significa demolir um edifício de forma controlada. (poderá ver este vídeo Aqui - Link YouTube).
Parece que está mais que provado que o WTC7 foi implodido numa demolição controlada.

E você pergunta:
E qual é o problema? Se não conseguiam controlar os incêndios, se calhar foi a melhor decisão!

Resposta:
Aí é que está o problema: a implosão de um edifício de tais dimensões demora no mínimo 2 semanas até 2 meses para planear e executar! Este edifício já tinha que estar preparado para ser implodido algum tempo antes dos atentados acontecerem!
Mesmo que fosse possível preparar uma implosão em poucas horas, quem sería o "maluco" que iria plantar explosivos num prédio supostamente todo em chamas?
Já para não falar nas conclusões dos relatórios oficiais da FEMA, que nunca mencionam sequer a hipótese de o WTC7 ter sido implodido propositadamente.



Conclusão

  • O Edifício 7 foi implodido numa demolição controlada que terá sido preparada antes do 11 de Setembro
  • O WTC 7 poderá ter sido o centro de comando de toda a operação do dia 11/09/2001.
  • Isto pode explicar porque quase nunca se ouviu falar neste edifício, assim não se fazem perguntas difíceis.
  • Explica também a necessidade de o destruirem, para que todas as provas com relação aos "atentados" desaparecessem.
  • Além disso, os seguros de Larry Silverstein contra actos terroristas, pagaram bem todos os estragos.
Veja amanha tudo sobre o "avião" que atingiu o pentágono.

Se voce ainda não viu a parte 4, clique aqui

Um comentário:

Blogger disse...

Are you looking for free Instagram Followers and Likes?
Did you know you can get them ON AUTO-PILOT AND TOTALLY FREE by registering on Like 4 Like?

Postagens Mais Recentes






A musica oficial da NOM

Sabemos que o Illuminati pretende unificar o mundo sobre um governo ditador e, até mesmo, estamparam na nota de um dólar americano essa intenção. Por que os últimos 4 presidentes têm falado tanto da necessidade de uma NOVA ORDEM MUNDIAL?

9/11 de 1991 - exatamente 10 anos antes

Eles dominam o mundo da música (video)

Eles dominam o mundo da música    (video)
veja nesse video os varios cantores que os ILLUMINATES vem controlando, todos eles são obrigado a mensionar o nome deles em suas musicas, assim como Michael Jackson tambem era.

Comunidade Orkut

Comunidade Orkut
Clique na imagem acima e ajude a divulgar tudo sobre a Nova Ordem Mundial e a implantação do MicroChip - Marca da besta a todos os irmãos do orkut - PARTICIPE

Nos escreva um e-mail dizendo a sua dúvida para que possamos colocar no blog:

Visite o meu blogspot

Nossos visitantes desde 08-06-2010:


localizar o internauta

Saiba de onde vem os visitantes:

free counters

Contagem regressiva para o dia 11/11/11 as 11:11:11s111mil.

Veja os paises que mais acessaram o blog: